Papo Materno

Agressividade infantil

Olá queridos leitores!

Costumo dizer que tirei a sorte grande, pois o Victinho é uma criança tranquila e muito carinhosa. Se relaciona bem com crianças de todas as idades e de forma bem madura, principalmente com os pequeninos, onde demonstra o senso de cuidado. No entanto, algumas crianças apresentam um comportamento agressivo: mordem, batem, beliscam e o pequeno sofre demais com isso.

AGRESSIVIDADE3

Ontem, por exemplo, estávamos em um aniversário, a família toda reunida e ele estava brincando com o priminho, um ano mais velho que ele. Estavam brincando com uma bexiga e eu perdi a conta de quantas vezes o priminho o empurrou ou colocou o pé na sua frente para que ele caísse. Não o ensino a revidar, pois acho que isso não leva a lugar algum. Por isso, converso com ele para que se imponha e consiga resolver esses conflitos. Como? Conversando com o primo, dizendo que não pode empurrar, pois vai machucá-lo.

Mas que mãe gosta de ver o filho apanhar o tempo todo? O Victinho falou para ele parar, passavam-se 5 minutos e lá estava o priminho batendo nele novamente. Como os pais não faziam absolutamente nada, precisei conversar com ele. As crianças precisam de limites e cabe a nós, adultos, esse papel. Conversei, uma, duas, três, quatro vezes, mas de nada adiantou. O que fiz? Não deixei mais que o Victinho brincasse com ele. Como já tem seis anos, quem sabe dessa forma ele não pensasse nas suas atitudes?

crinça puxa cabelo

Segundo a psicóloga Rita Calegari, até completarem 3, 4 anos, as crianças são desprovidas de recursos para lidar com a frustração. Sendo assim, as crianças agridem para se defender do que sentem, não entendendo aquilo como agressão. Com o tempo e a educação que recebe, a criança aprende a lidar com a raiva.

A agressividade da criança é culpa dos pais?

Os pais são responsáveis por seus filhos e cabe a eles, educar os pequenos, impondo limites. Educar é difícil, dizer “não” muitas vezes ao dia pode ser cansativo e dói muito quando o fazemos, mas é necessário. Dessa forma, ajudam os pequenos a perceberem o que perdem com certas atitudes.

No entanto, em alguns casos, a família pode estar incentivando essa atitude, seja de forma direta quando o pai incentiva o filho homem a bater, pois acha que dessa forma estimulará a masculinidade do pequeno, ou através de exemplos, já que as crianças tendem a imitar os pais, a tê-los como exemplo para a vida. Além disso, pais muito bravos, agressivos em suas palavras, transmitem esse modo de funcionamento aos filhos, ficando natural, para eles, se comportar dessa maneira.

Como lidar com a agressividade dos filhos?

Como já foi dito anteriormente, é preciso estabelecer limites. Por mais difícil que seja, faz-se necessário, para que a criança não se torne um adulto inseguro, incapaz de administrar conflitos e enfrentar as adversidades da vida.

O Victinho não é uma criança agressiva, mas tem seus momentos de frustração quando não fazemos tudo o que ele quer. Apesar de sempre conversarmos à respeito, é criança e vive nos testando com relação aos limites impostos. Ele adora jogar vídeo game e, por ele jogaria 24 horas por dia. Por isso, estabelecemos horários para os jogos e algumas vezes ele quer quebrar essa regrinha: “Ah mamãe, só mais 30 minutos”. “Não Victinho! Esse não foi o combinado. Você lembra? ” Ele chora para conseguir o que quer, mas logo para quando vê que não vai conseguir. Acho importante cumprir os combinados e não abrir exceções.

Outro ponto que devemos ter cuidado é com os ensinamentos e exemplos dentro de casa. Violência só gera mais violência e isso poderá acabar, aos poucos, se tornando um problema maior que é o descontrole da agressividade infantil.

Elogiar e dar carinho sempre também é uma dica importante para lidar com a agressividade infantil. Elogiar os bons comportamentos e auxiliá-la nos momentos de raiva, para que consiga lidar com esse sentimento de forma positiva. Em alguns casos, a ajuda profissional de um psicólogo especializado em comportamento infantil poderá ser de grande ajuda.

Super beijo,

Bia

Anúncios

2 thoughts on “Agressividade infantil”

  1. Legal, Bia! A gente tem que diferenciar agressividade de violência, porque a agressividade é uma pulsão, que pode se expressar como violência ou como outra coisa. Se a gente consegue educar as crianças para que sua pulsão agressiva, essa energia, em atividades criativas. Na psicanálise a gente conta com duas pulsões a agressividade e a sexual, quando elas passam pelo crivo da cultura, o crivo social, elas se tornam paixão/energia e ternura/relacionamentos fraternais. A criança até que ela entre por completo no campo da cultura e da linguagem, ela está fortemente influenciada pelas pulsões, que vai se delineando a partir da convivência, a partir da observação, do cuidado, enfim… Beijos!

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s