Papo Materno

A vida com filhos

Olá, queridos leitores!

Quando conheci o maridon, estava no último ano de faculdade, no auge dos meus 22 anos. Lógico que eu pensava em casar e constituir uma família, mas não era algo que eu queria realizar naquele momento, pois estava iniciando de fato a minha carreira e tinha muitos objetivos a atingir. Cinco anos após, já mais maduros, resolvemos dar o grande passo nas nossas vidas. No entanto, apenas dois anos após estaria esperando o Victinho.

Na época, a grande maioria das minhas amigas nem casadas eram. Ainda hoje, muitas delas não possuem filhos e, justamente por isso, fica muito difícil de entender algumas das minhas escolhas ou atitudes.

Por isso resolvi escrever sobre o assunto, para que as amigas sem filhos saibam o que realmente se passa comigo. O dia a dia e as inúmeras tarefas que estão sob minha responsabilidade acabam limitando o meu tempo com elas, o que muitas vezes pode ser interpretado como falta de interesse ou fim da amizade. Amigas, não entendam como uma crítica, pois o único intuito aqui é o desabafo . Quando compartilhadas, as coisas deixam de ter um peso.

BiaVictinho...

Um filho vira a nossa vida do avesso! A mãe que antes não tinha horas para comer ou dormir, nem para voltar para casa após a festa de uma amiga, hoje vê sua vida girando em torno de um serzinho lindo de bochechas fofas. Os banhos deixam de ser demorados e as idas ao banheiro sempre tem companhia. Passa a ser a ultima a sentar-se à mesa, quando a comida já está fria. Sair de casa então passa a ser um evento! É necessário acordar 2 horas antes do combinado para dar conta de organizar tudo (arrumar as bolsas com roupas, brinquedos, papinhas, lanchinhos, além de arrumar as crias, amamentar ou alimentar, dependendo da idade e tentar, pelo menos, ficar mais apresentável rs) e, mesmo assim, corre-se o risco de sair atrasada porque é sempre nessa hora que seu filho resolve fazer cocô ou vomitar na roupa que acabamos de trocar.

Fora toda essa mudança na vida das mamães, há aquelas que, como eu,  trabalham fora e precisam deixar o pequeno na escolinha ou na creche. E vou logo dizendo que não é por que passam algumas horas longe dos filhos que deixam de saber o que é melhor para eles. Uma mãe sempre faz suas escolhas pensando no que é melhor para os pequenos. Mas existem também aquelas mamães que optaram por cuidar dos seus filhos em tempo integral e que, além disso, estão sempre tentando deixar tudo em ordem no seu lar, tarefa nada fácil, além de estressante.

Por isso, pode ser que eu demore para responder e-mails ou não consiga falar com você por telefone naquele momento. Falar ao messenger ou wathsapp, para uma mãe, pode ser tarefa impossível. No meu caso, enquanto tento responder as mensagens, meu filho está escalando a estante, pulando do encosto do sofá para o chão  ou subindo na mesa da sala de jantar, tudo isso para chamar minha atenção.

Sobre happy hour, o fato é que muitas vezes não tenho com quem deixar o pequeno. Muitas outras, como trabalho fora e passo menos tempo com ele do que gostaria, fica muito difícil abrir mão desse tempo que teria para estar com ele. Por isso, provavelmente, não conseguirei participar de todos os eventos, aniversários ou festas da empresa. Apenas não me julgue, pois meu filho é uma criança e precisa de carinho e atenção para o seu desenvolvimento, assim como eu preciso desse tempo com ele. Isso não quer dizer que eu goste menos de você. Sair, muitas vezes é complicado, pois não é todo lugar que tem atividades para crianças e, além disso, é cansativo para eles alguns de nossos programas. Uma pizza em casa pode ser uma boa pedida!

E se você estiver em casa e, por algum motivo, eu chamar a atenção do pequeno e ele chorar, lembre-se que isso dói mais em mim, do que nele. Educar um filho não é tarefa fácil e demanda carinho, dedicação e firmeza, tudo de forma balanceada.

Não quero que tenham uma ideia errada sobre a maternidade, pois apesar de tudo isso, você descobre que o avesso é o seu lado certo e se pergunta como conseguira viver até então sem o seu pequeno, sem esse amor que, desculpem, não consigo descrever! Apenas desejo: tenham filhos!

Anúncios

2 thoughts on “A vida com filhos”

  1. Oi Bia, pois é, os desafios são enormes. No meu caso, ainda são dois (e pequenininhos!). Tem dia que acho que não vou dar conta, que vou surtar. E no nosso caso, ainda inventamos de escrever um blog no meio dessa loucura toda! Mas tudo isso é um investimento que fazemos em uma nova vida e o esforço vale muito a pena! Os momentos de crise passam e quando a gente olha para trás, a parte boa certamente pesa mais do que o que não foi tão bom. E tudo fica mais leve! Um beijo!

    Curtir

    1. Olá Débora! Verdade, tem dias que acho que não darei conta, Imagino você. Mas eu aprendi a priorizar o que é mais importante porque, afinal, o dia tem apenas 24 horas. E quando você para se dá conta que não teve um momento seu, e isso, com o passar dos dias, somado ao cansaço torna-se um peso. Mas a gente vai se moldando, se adaptando e encontrando meios né? Eu aprendi muito com a maternidade e aprendo a cada dia. Com certeza vale muito à pena! Um bjo!

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s