Papo Materno

O que fazer quando não há o que dizer? Desabafo!

Não é novidade que muitas pessoas não sabem lidar com perdas ou más notícias. Desde que sofri um aborto espontâneo ouvi muitas coisas das pessoas e, apesar de toda a dor, não as julgo. Sei que muito do que falaram foi com a intenção de confortar, mas é preciso tomar certo cuidado com o que falamos, pois ao invés de confortar, podemos piorar a situação. Por isto resolvi escrever sobre o assunto, a fim de orientá-las para que não cometam o mesmo erro.

mãos conforto

A primeira coisa que as pessoas costumam dizer é que vai ficar tudo bem e ai eu dou uma dica: não fale aquilo que não sabe e não prometa aquilo que você não poderá cumprir! Você não sabe se vai realmente ficar tudo bem, este pode ser o seu desejo, mas você não pode se certificar de que isto irá acontecer,  então não diga, não prometa. Importante que saibam que é possível confortar sem dizer uma palavra, através de um abraço, uma escuta. Caso queira dizer algo, você pode simplesmente dizer que sente muito e que deseja que fique tudo bem. Neste caso não estará prometendo nada.

Dizer: “ Rapidinho você engravida de novo” ou  “Você ainda vai ter um monte de filhos” não vai ajudar. Pessoal, a mulher acabou de sofrer um aborto e tudo o que ela queria era não estar passando por isso. Ela sabe que poderá tentar novamente, mas o que ela realmente queria  é que aquela gestação não tivesse sido interrompida.

Outra coisa que costumam dizer é: “Mas porque perdeu o bebê, o que você fez?” Gente, muitas podem ser as causas, mas o que aquela mulher não precisa é de alguém dizendo que a culpa foi dela. O momento por si só já é muito difícil!

Certos comentários como: “Tem que ver direito o que aconteceu porque fulana já perdeu n vezes e demorou cinco anos para engravidar, o que conseguiu apenas com um  tratamento que custou uma fortuna, teve que vender o carro” ou então: “ Pensa pelo lado bom, melhor isso do que ter um bebê defeituoso” são completamente dispensáveis.   E acreditem, há quem diga tais barbaridades.

Mas a frase que, para mim, soou pior foi: “E ai, já superou?” Nossa, para mim foi tão agressivo, não sei nem explicar. Acredito que não tenha sido a intenção, muito provavelmente a pessoa não soube o que falar, mas eu repito: não precisa dizer nada! É preciso ter empatia, se colocar no lugar do outro e, neste momento, vale pensar: “O que eu não gostaria de ouvir se estivesse passando por isto?” Acho que pensar dessa forma também pode ajudar a não cometermos certas gafes.

 Gente, a morte é um processo natural e integrante da vida, porém, nem todo mundo encara dessa forma. Há quem não aceite a morte ou não goste de falar sobre o assunto, porém, mesmo para aqueles que não evitem  o assunto e tratam com naturalidade, precisam de um certo tempo para “digerir” o que aconteceu. Trata-se de um processo doloroso e que envolve tempo para que as pessoas aceitem o que aconteceu e possam lidar com seus sentimentos. O processo de luto é  individual e irá depender , principalmente, das crenças daquela pessoa e de como lida com o assunto.

Alguém ai passou por isso? Compartilhe aqui. Bom, espero ter ajudado de alguma forma. E, de maneira alguma fiquei chateada com alguém que tenha me dito algo do tipo. Foi apenas uma forma que vi para ajudar outras pessoas a lidarem com a situação. Beijos!

Anúncios

4 thoughts on “O que fazer quando não há o que dizer? Desabafo!”

  1. Sentir a perda é só pra quem já passou por isso. E digo mais…tudo no seu tempo. Filha , apenas “ele” sabe dos por que`s. Estarei sempre aqui torcendo por você. Te amo!

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s